Jornalismo interativo

Loading...

domingo, 11 de setembro de 2011

Resumo do livro – O que é ética – Álvaro L. M. Valls – Editora Brasiliense – Coleção Primeiros passos – 177

Jackson Pereira
Os problemas da Ética
O autor inicia o livro buscando entender quais os problemas do estudo da ética, a divisão didática deste estudo em dois campos: nos problemas gerais e nos problemas específicos, enfatizando que é uma divisão acadêmica já que na vida real não existe separação.
A ética em cima do capital, da moral religiosa, ou mesmo das relações interpessoais é variável de acordo com a sociedade e o tempo em que esta se desenvolve, mas mesmo ai se busca determinar o que tem de igual nas passagens de tempo e de sociedades para que possamos identificar uma atitude ética, este é um problema levantado que ainda não possui solução adequada, mas todo o “esforço de teorização no campo da ética se debate como o problema da variação dos costumes” (pag. 16). Explicar universalmente atitudes pessoais é um exercício produzido por diversos filósofos.
A citação para exemplificar esta busca se encontra principalmente nos pensamentos de Sócrates (470-399 a.c) que foi o primeiro a tentar realizar uma “consulta interior” questionando as tradições gregas através da vontade de compreender a justiça das leis e Kant (1724-1804) que buscava uma ética universal que colocasse a igualdade para todos homens, ambos dialogam intrinsecamente com a moral, a partir das idéias destes pensadores diferentes discursos foram sendo construídos é isto que o autor vai nos mostrar durante o restante do livro, como autores de épocas e espaços diferentes conseguem dialogar sobre a construção de uma postura ética.

Ética Grega Antiga
O pensamento grego em seu modo geral é representado por três importantes filósofos, o autor ressalta que não são apenas estes os pensadores gregos mas as idéias deles merecem ser analisadas.
O ideal de Sócrates já foi citado, para continuar seus estudos Platão os sistematizou e colocou sua visão de busca pelo bem e pela felicidade, felicidade entendida como prazer como sabedoria pratica e como verdade, não há idéia de felicidade contemporânea. Para isso o homem tinha de ser virtuoso sendo uma imitação ou uma assimilação de Deus e existiam as virtudes principais: Justiça, Prudência ou Sabedoria, Fortaleza ou Valor e Temperança.
Já para Aristóteles a questão não é tão teórica, mas um pouco mais pratica, sem deixar de utilizar a contemplação e a base da busca do bem ele demostra que o bem é especifico de acordo com o grau de complexidade do ser, neste sentido a ética de Aristóteles surge com um fim, então para o homem a busca do bem era algo que envolvia diversas esferas e diversas buscas.
É importante lembrar que esta visão parte de uma sociedade escravocrata em que os escritos foram pensados para uma aristocracia que não trabalhava e tinha tempo de sobra para se dedicar as artes contemplativas.

Ética e Religião
Neste trecho do livro o autor relaciona conceitos éticos e morais com a expressão religiosa que parte desde o culto grego as forças da natureza e a criação dos deuses. As religiões ligadas ao judaísmo e ao cristianismo tem na vontade de Deus o seu encaminhamento. O individuo é colocado em segundo plano, este tipo de relação dá a sociedade uma ênfase no processo moral, Deus é um espelho de perfeição a ser seguido. O problema com as questões sexuais também veio a tona principalmente através da doutrina católica.
Destaque para o filosofo Ludwing Feuerbach (1804 – 1872) que “tentou traduzir a verdade da religião, especialmente a cristã, numa antropologia filosófica que estivesse ao alcance de todos os homens instruídos” (pag. 39) esta visão influenciou as idéias marxistas, tanto é verdade que pensadores cristãos buscam textos de caráter marxista para afirmar suas posições. Outras visões aparecem como a determinista, a racionalista e a do positivismo lógico que dialogam com as posturas religiosas em relação a uma ética.

Os ideais éticos
A busca por um ideal ético pode possuir diversas respostas para Platão, Aristóteles e Sócrates a busca da felicidade era o principal objetivo, no Cristianismo os ideais éticos se identificam com os religiosos. O renascimento e o iluminismo trouxeram acentuou o aspecto da liberdade individual. Já em Hegel o foco das idéias de ética recaem sobre a noção de estado. O pensamento social e dialético na vida social mais justa. E na reflexão do século XX a idéia é de que a sociedade não se comporta de forma imoral, mas sim amoral.

A liberdade
A questão da liberdade é discutida partindo das idéias de determinismo e de liberdade, existindo diversas definições de determinismo de acordo com o momento vivido, mas ele é contrário a ética, da mesma forma o extremo oposto do determinismo também nega sua função ética, nesse meio o poder da vontade, o chamado idealismo também não pode ser considerado como um meio ético já que este é teórico de tal forma que não consegue se enquadrar no homem real. O autor fala que em Hegel a questão da liberdade é amplamente discutida, chegando a conclusão que ela se desenvolva na consciência e nas estruturas.
A teoria de Hegel não pode ser ignorada, mas ela recebe criticas interessantes de Karl Marx e kierkegaard, a critica do social no primeiro e da individualidade no segundo complementam a discussão.
O Estado moderno neste contexto está intimamente ligado a questão da liberdade. Neste sentido para Marx existe uma luta constante com a natureza uma tentativa de dominação da mesmo, há um ideal em cima da técnica e não da ética o que esta sendo reestudado pelos pensadores contemporâneos. E kirkeegard contribui com o conceito de angustia e busca trabalhar com os aspectos psicológicos.

Comportamento Moral – O bem e o Mal
Os dois extremos o bem e o mal são partes de um mesmo estudo a ética esta ligada a idéia de bom a tentativa de evitar o mal, neste meio tempo surgem novos estudos de moral, o surgimento da imprensa é o agente catalisador desta situação e resulta na preocupação com a autonomia moral do individuo.
Temos o direito natural em contraposição ao direito divino, Kant é o expoente desta dicotomia em que a busca de descobrir cada homem uma natureza igual, porém livre. “Por mais que variem os enfoques filosóficos ou mesmo as condições históricas, algumas noções, ainda que bastante abstratas, permanecem firmes e consistentes na ética.”
Para Kierkegaard uma pessoa ética é aquela que age sempre a partir das alternativas de bem e do mal, e quem vive optando entre uma ou outra, não vive eticamente.
“A questão atual é principalmente saber se, mesmo sabendo isto, os homens de hoje ainda se sentem em condições de agir individualmente, isto é, agir moralmente.”

A ética hoje
Na ética hoje alguns aspectos são interessantes, a colocação da famíllia na idéia de ética, questões de fidelidade, de amor, relacionadas a sexualidade como nos casos do celibato, feminismo e da homossexualidade. Exigindo uma reformulação doutrinária dos estudos.
A relação com a sociedade civil e suas determinações e conjunções com o mundo do trabalho e a privacidade.
E em relação ao Estado, a liberdade do individuo só se completa com a liberdade de um estado livre e de direito. O estado só é livre se todos os indivíduos que o fazem também sejam livres.
E nos dias de hoje a luta ganha um caráter muito mais sutil, o poder da imprensa, a dominação econômica, as massas podem ser dominadas mentalmente através da disseminação de informações diretas que definem e/ou direcionam a população para um determinado caminho.

6 comentários:

  1. tem uma pergunta da prova assim 2-Identifique os personages principais e secundarios alguem sabe me responder é do livro O que é ética

    ResponderExcluir
  2. Serginho, Vai tomar no olho do seu cu 2°C PORRA

    ResponderExcluir
  3. olha o respeito rapaz!

    ResponderExcluir
  4. Serginho de Cu é ROLA!!!!!!!!! 2ºC POHHAAAAA AQUI É O LEONIDAS
    SEU MERDA!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. olha o respeito rapaz!

    ResponderExcluir
  6. Desculpa Sergio, escrevi sem pensar!

    ResponderExcluir